Sehal cria norma para reabrir bares e restaurantes no ABC

O Sehal (Sindicato das Empresas de Hospedagem e Alimentação do Grande ABC) criou uma cartilha de procedimentos para ser adotada pelos estabelecimentos do setor de alimentação que estão fechados na região, conforme o ramo de atividade, a partir do momento em que for permitida a reabertura do comércio. O documento foi elaborado em parceria com o grupo Betel Segurança Alimentar e a Aethal (Associação das Empresas de Turismo, Hospedagem e Alimentação do Estado de São Paulo).

 “A nossa principal preocupação é a de que os estabelecimentos do setor de alimentação não suportem a situação e sejam obrigados a fechar, provocando o desemprego e afetando o desenvolvimento da economia local. Por isso, tivemos essa iniciativa para que os bares e restaurantes estejam preparados para qualquer momento da abertura”, explica Beto Moreira, presidente do Sehal.                           

Por setor – O cronograma sugerido pelo Sehal e Betel é aplicado e diferenciado para cada tipo de atividade, de acordo com a especificidade de cada um, além das regras gerais comuns a todos. O objetivo da ação é estabelecer retorno gradual dos estabelecimentos na Região que foram duramente afetados pela crise.

Os procedimentos contemplam restaurantes à la carte, bares/cervejarias; restaurantes; pizzarias; cantinas; cafés; restaurantes buffets; churrascarias; fast foods e delivery.

Entre as diversas regras, a proposta para restaurantes à la carte é retirar galheteiros e sachês das mesas e fornecer apenas guardanapos embalados individualmente. Também dispensar toalhas e guardanapos de pano. Já em churrascarias a recomendação é funcionar sem música ao vivo ou karaokê para evitar a interação com o público. Em pizzarias; cantinas; cafés deve-se manter a distância de 1 metro entre as cadeiras e 2 metros entre as mesas. Para restaurantes buffets é recomendada a variedade de alimentos, servir porções menores e com maior frequência de reposição.

Todas as normas acompanham as orientações gerais de uso de máscaras, utilização de álcool em gel, higienização de superfícies com álcool 70, distanciamento, treinamento de funcionários, entre outras recomendadas pela OMS (Organização Mundial de Saúde).  

“Todos devem se preparar porque os procedimentos deverão ser totalmente diferentes do que eram antes da pandemia. É importante a orientação para que os estabelecimentos reabram e não sejam obrigados a fechar novamente”, explicou Beto Moreira.

O documento também foi enviado, por meio de ofício, à Prefeitura de São Bernardo e será encaminhado ao Consórcio Intermunicipal do Grande ABC para que o procedimento possa ser seguido por todas as cidades da Região.

Sobre o SEHAL

Fundado em 12 de julho de 1943, o sindicato é uma entidade sem fins lucrativos e tem como objetivo apoiar os empresários reciclando conhecimento em várias áreas. Representa cerca de oito mil estabelecimentos na Região do Grande ABC Paulista. Fornece apoio com profissionais renomados nas áreas jurídicas, sanitária, organizacional, parceria com escolas e faculdades, além de lutar pela simplificação da burocracia nos âmbitos municipal, estadual e federal com redução dos impostos e ainda contribuir para a qualificação dos empresários e trabalhadores.

Oferece ainda cursos gratuitos ou com condições especiais para associados e ministrados por professores altamente qualificados, em salas de aula equipadas com data show, cozinha completa com utensílios e insumos para as aulas práticas. É também considerado um dos sindicatos patronais mais atuantes do Brasil em razão das diversas conquistas e expansão no número de associados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 + 5 =