Governo do Estado inicia monitoramento de infectados e casos suspeitos de covid em São Bernardo

O governo do Estado de São Paulo anunciou ontem que São Bernardo, Araraquara e Bauru são as cidades escolhidas para  iniciar um programa de rastreamento dos casos confirmados e suspeitos de covid-19. O objetivo é localizar e isolar os pacientes que ainda estão com a forma ativa da doença e também quem teve contato com positivados para evitar novas contaminações.

 A expectativa é que após esta etapa, a iniciativa seja expandida para demais cidades de São Paulo até o fim de agosto. O acompanhamento que passa a ser adotado no município é considerado essencial para frear a expansão de contágio da covid-19. Com a iniciativa, a Secretaria de Saúde terá ainda mecanismos e dados para aperfeiçoar e traçar o perfil epidemiológico da doença.

Medidas assim foram utilizadas em países da Europa e Ásia para conter o avanço da doença. Porém, no início da pandemia. Em São Bernardo, a situação não é das melhores e os casos novos e mortes aumentam a cada dia. Ontem, dia 09 de julho, havia 457 óbitos pela doença na cidade e 12.046 casos da doença confirmados. Os números são os maiores da região e, diferente das demais cidades do ABC não mostram sinais de queda ou mesmo estabilidade.

Segundo a secretaria de Desenvolvimento Econômico estadual, Patrícia Ellen, a ferramenta foi adaptada para seguir um padrão em cada cidade. “Em São Bernardo já existe uma equipe profissionalizada e nós vamos apoiá-los com modelo de controle e integração de plataforma”.

Como será

 A medida prevê que profissionais da Vigilância Epidemiológica do município façam o acompanhamento de pacientes com covid-19 por telefone, possibilitando assim o rastreamento de seus contatos e possíveis casos suspeitos. Ao detectar esses indivíduos, a Secretaria de Saúde também passará a monitorar essas pessoas.

Apesar de a prefeitura de São Bernardo afirmar que com apoio da Atenção Básica, já monitora todos os pacientes infectados com coronavírus que estão em isolamento em suas residências, muitos deles reclamam que não há esse acompanhamento. A demora no diagnóstico e do início do isolamento também é apontada por moradores com a doença como constantes na cidade.

Em São Caetano, onde os casos e óbitos já estão controlados, a testagem já atingiu 25% da população. Em São Bernardo, apenas 6% fizeram os testes.

Foto: Divulgação Governo do Estado de SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 2 =