Única cidade com óbitos em alta no ABC pela covid, São Bernardo tem GCMs sem máscaras

Se quem deveria fiscalizar e ser o exemplo,  faz de conta que a pandemia não existe, o resultado é um número cada vez maior de casos fatais, ao contrário das demais cidades do ABC. Hoje, São Bernardo é a única cidade do ABC que ainda registros diários elevados de mortes. No fim de semana, foram 9, sendo 8 no sábado e 1 no domingo). As demais, já conseguem zerar em alguns dias. Ainda na semana passada, São Bernardo somou 19 mortes em um único dia causadas pela doença.

No fim de semana,  Santo André e São Caetano tiveram 4 vítimas fatais cada uma no sábado,  Diadema somou mais 3 mortes e Mauá, 6. No domingo, apenas a cidade administrada pelo tucano Orlando Morando contabilizou mortes pela covid-19, segundo os dados divulgados pelo governo do Estado. (https://www.seade.gov.br/coronavirus/).

As informações sobre os casos da doença também estão sem detalhes. Desde que a legislação eleitoral determinou a retirada da páginas das prefeituras das redes sociais, não são mais apontados  onde estão os casos . Em relação às mortes, a administração nunca detalhou a situação e saúde de cada pessoa que perdeu a vida, diferente de outras cidades do ABC que mostram um perfil que explica a situação de  cada vítima.

Mas, é fácil explicar os motivos que estão levando a cidade ao resultado mais trágico do ABC, até ontem,  20 de setembro, 870 mortes pela pandemia. Desde o início não houve fiscalização por para dos Guardas Municipais, que muitas vezes acionados não sabiam que cabia a eles orientar munícipes sem máscaras. A situação foi tão critica que a no meio da pandemia a diretoria da Vigilância Sanitária foi trocada e ainda 25 funcionários foram contaminados pelo coronavírus e afastados do trabalho.

A cidade, que conta com um sólido sistema de saúde, não teve sucesso no combate ao coronavírus. No último sábado,  19 de setembro, alguns CGMs foram flagrados em bate-papo animado em um posto de gasolina da cidade. Detalhe, sem distanciamento social e sem máscaras. Um deles usava a máscara no queixo.  Assim realmente fica difícil controlar a doença, pois quem deveria fiscalizar não usa o único equipamento de proteção possível contra a covid-19.

E não são apenas os GCMs que costumam desfilar sem máscaras pela cidade. Os coletores de lixo também percorrem as ruas sem o equipamento de proteção. Com estes exemplos, São Bernardo vai continuar no topo das mortes do ABC ainda por muitas semanas. A assessoria de comunicação da prefeitura foi questionada, mas ainda não respondeu.

Mortes no ABC

São Bernardo: 870

Santo André: 585

Diadema: 348

Mauá: 339

Ribeirão Pires: 60

Rio Grande da Serra: 25

Foto: Eagle News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 − 1 =