Fim de feira é show de horror em São Bernardo

Médicos e cientistas dizem todos os dias incansavelmente que a única forma de proteção contra a covid-19 é o distanciamento social, o uso de máscara e a higienização correta das mãos.  Mas, mesmo com casos, ocupação de leitos de UTI e mortes em alta novamente, parece que grande parte da população ainda não acordou e muito menos teme pela própria vida.

Neste sábado, 05 de dezembro, uma visita no fim do horário de funcionamento da feira da avenida Prestes Maia, no centro de São Bernardo, foi um verdadeiro pesadelo. A impressão era que a pandemia havia sido revogada por decreto.  Feirantes desmanchando as barracas aos berros em sem máscara, assim como os funcionários da limpeza pública. Além disso, entre os alguns poucos clientes que ainda estavam no local, havia muitos sem máscara. Estar sem máscara falando, gritando e se movimentando pode ajudar a disseminar ainda mais o coronavírus .

 

Um dos clientes da barraca de pastel estava sem máscara, e nem um pouco preocupado com as pessoas que estavam perto. Questionado pela reportagem do Eagle News, disse que tinha perdido a máscara.  Os funcionários da limpeza foram questionados sobre o uso. Apesar de receber a máscara da empresa, alguns preferem não usar.

O uso de máscara é obrigatório em todo o Estado de São Paulo e pode gerar multa. Em São Bernardo, o prefeito Orlando Morando restringiu horários e atividades comerciais por conta do aumento significativo de casos, mortes  e ocupação de leitos exclusivos para a covid-19. Infelizmente, a cidade voltou a registra cerca de 10 falecimentos diários causados pela doença. O governo estadual também retrocedeu o ABC para a fase amarela do Plano São Paulo.

 

E não são apenas nas feiras que as pessoas insistem em deixar a máscara em casa, no bolso ou no queixo. No supermercado Sonda da avenida Pereira Barreto, sempre tem alguém que após entrar na loja retira o acessório da boca e nariz e deixa de enfeite nas orelhas ou no queixo. Ao ser questionado, o fiscal de loja Isac Andrade disse que não pode chamar a atenção dos clientes que estão sem máscara, apenas esperar que tenham responsabilidade e usem adequadamente. Mas, a legislação determina que o estabelecimento comercial pode ser multado por cada cliente sem máscara.

 

 

 

 

Números

Na sexta-feira, 04 de dezembro, a cidade totalizava 53.772 positivados da doença. Segundo a prefeitura, 1.081 pessoas já perderam a vida para a doença na cidade.

Em relação ao número de internados, esta semana a Secretaria Municipal da Saúde precisou destinar mais leitos de UTI para os infectados com o coronavírus e novamente suspender cirurgias eletivas.  A cidade tem hoje 82 pessoas internadas na UTI, segundo dados de ontem da prefeitura. Outras 158 pessoas estavam nas enfermarias.

A reportagem irá na próxima segunda-feira encaminhar as fotos para a prefeitura. Morando ressaltou que a fiscalização será mais rígida. Só assim será possível evitar um retrocesso ainda maior no Plano São Paulo.

Foto: Reportagem Eagle News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte + dezoito =