Expressão dor nas costas bate recorde de procura no Google

Desde o dia 26 de fevereiro de 2020 quando o Brasil anunciou oficialmente o primeiro caso confirmado de contaminação por covid-19, a expressão “dor nas costas” cresceu mais de 76%, tendo o seu pico de busca em abril do mesmo ano. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) dor nas costas é um problema de saúde comum entre os brasileiros e atinge 16% da população ativa. Os estados que mais pesquisam sobre o assunto são Ceará, Alagoas, Maranhão, Rio de Janeiro e São Paulo.

Oficialmente ‘dor nas costas’ não é um sintoma da covid-19, mas a pandemia do novo coronavírus mudou a rotina de milhões de brasileiros que tiveram que se adaptar para continuar com as suas atividades profissionais, escolares e outras. As medidas mais duras fizeram com que os brasileiros ficassem no mínimo 30 dias em quarentena mais rígida e a residência se tornou o local de trabalho, de estudo, de lazer e de descanso.

Home office

Quem estava acostumado com o ambiente confortável do escritório, rapidamente teve que improvisar um lugar para trabalhar em casa. A maioria foi para a mesa de jantar da sala ou da cozinha, ou adaptou algum outro cômodo para desenvolver suas atividades profissionais.

Dicas como ajustar o local de trabalho ajustando por exemplo monitor do computador na altura correta de visão, se preocupar com a ergonomia da cadeira e da mesa de trabalho, manter sempre o apoio dos pés nunca os deixar esticados para frente, fazer pequenos alongamentos durante o dia ajudam na correção da postura, evitando assim dores nas costas.  

Descanso

Segundo pesquisa realizada pela Associação Brasileira do Sono, cerca de 73 milhões de brasileiros sofrem de algum distúrbio relacionado para dormir. Mesmo assim, ainda é possível adotar alguns procedimentos para cochilar bem e ter bons sonhos. Mais uma estratégia para a pandemia. Insônia, dores nas costas e apneia do sono é um dos mais comentados e relacionados a pesquisa.

foto: divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte + quinze =