Covid: vacina não deve chegar às crianças em 2021

Com a expectativa para começar em dezembro (Coronavac – produzida pelo Instituto Butantan) ou em janeiro (Oxford, pelo Instituto Biomanguinhos), a vacinação contra a covid-19 não deve contemplar as crianças de imediato e, possivelmente, nem em 2021.

Não estarem nos grupos de maior risco para a doença e o baixo índice de complicação e mesmo de sintomas por crianças e adolescentes menores de 18 anos deve fazer com que este grupo fique para uma segunda etapa da vacinação. Além disso, os testes que já se encontram na fase 3 ainda não começaram nessa faixa etária. Com isso, a vacinação deverá ser autorizada (mesmo que em caráter de emergência) pelos órgãos reguladores (no Brasil a Anvisa) para ser realizada apenas em maiores de 18 anos. Existe a possibilidade de que crianças que façam parte do grupo de risco recebam  o imunizante.

Nos estudos da Sinovac Biotech, que produz a Coronavac, os testes em crianças no Brasil poderão começar ainda este ano, mas ainda sem data para começar. Só deve ser liberado após a finalização dos testes com crianças e adolescentes na China.

Em matéria publicada pelo jornal O Estado de São Paulo hoje, especialistas  dizem que a prioridade dos estudos e liberação neste momento é determinar se as vacinas são seguras e resultam resposta imunológica na população adulta e nos grupos de maior risco, justamente a que deve ser imunizada primeiro (profissionais da saúde e idosos).

Além disso, as crianças têm uma resposta imunológica diferente da dos adultos e requerem protocolos diferenciados para a testagem, além , é lógico de autorização dos responsáveis. Por conta de requerer testes diferenciados e não estarem nos grupos de risco, é possível que as crianças e adolescentes ainda não sejam vacinados em 2021 e tentam que esperar até a conclusão dos testes nos grupos etários específicos.

Foto: EBC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × dois =