ABC pede mais leitos para covid ao Estado e teme falta já nos próximos dias

Com uma rápida subida no número de casos de covid-19 e de ocupação dos leitos de UTI no ABC, os secretários da Saúde dos sete municípios decidiram pedir a ampliação de leitos para o governo do Estado de São Paulo.  Os secretários se reuniram na tarde desta quinta-feira, 26 de novembro, no Consórcio Intermunicipal do ABC.

Apenas em 24 horas, São Bernardo teve um acréscimo de 22% na ocupação de leitos de UTI. A cidade, assim como outras, havia reduzido os leitos destinados exclusivamente para o tratamento da covid-19 por conta da queda da demanda. No dia 08 de novembro, 37 pessoas estavam em leitos de terapia intensiva na cidade. Ontem, eram 78. Se comparado com a quarta-feira, a situação fica ainda mais preocupante, pois 64 pessoas estavam internadas nas UTIs públicas da cidade.

Em Santo André, a situação também é preocupante. A cidade já está com ocupação de 58,39% dos leitos de UTI. Em números absolutos, são 88 pessoas nos hospitais particulares e 79 nas UTIs da rede pública.  São Caetano estava ontem, segundo dados da prefeitura, com 40% da ocupação de UTI, número, segundo a secretária da Saúde Regina Maura Zetone, nunca atingido no pico da pandemia.

Na reunião de ontem entre os secretários, ficou decidido também que será pedido ao governo que os dois hospitais estaduais da região ( Mário Covas em Santo André e  Serraria em Diadema) passem a receber pacientes com covid-19. Sem essas medidas e com o rápido crescimento dos casos e internações, já há a preocupação que falte leitos já nos próximos dias.

 

Restrição

O ABC e toda a Região Metropolitana podem sofrer uma regressão de fase no Plano São Paulo. O coordenador do Centro de Contingência da Covid-19, João Gabbardo, disse ontem que os médicos do plano aprovaram, por ampla maioria, a necessidade de ampliar as restrições para reduzir o crescimento da doença.

O governador João Doria preferiu esperar  até a próxima segunda-feira, 30 de novembro, quando haverá a reclassificação do Plano São Paulo, para tomar a decisão.  A medida só será tomada, neste caso, após o segundo turno das eleições municipais. O primeiro setor a ser fechado deve ser o de lazer, já que as contaminações ocorrem principalmente em jovens entre 25 e 49 anos.

Em Santo André os shows ao vivo em estabelecimentos comerciais estão proibidos. Em São Caetano, nunca foram liberados. Em São Bernardo, o prefeito Orlando Morado já estuda novas restrições para conter o avanço do coronavírus.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − treze =